19 de dez de 2011

sonho delicioso


Hoje eu tive um sonho delicioso,

Tinha cheiro de lavanda, incenso queimado e alarme de chuva.

Havia um som leve de mata gemendo e risada gostosa.

Escutava um velho vinil rasgando na vitrola, ao fundo...

Abertas as grandes portas janelas de papel de arroz,

A nossa sala era varanda silenciosa, contemplação e meditação,

Fechadas as grandes portas janelas de madeira maciça,

A nossa sala era música, era toque e encontros,

Ao cair da noite, sempre no final do dia,

Depois das festas, enquanto dormíamos,

Os cachorros iam patinar no quintal,

Os gatos faziam guerra de espuma na banheira,

ao som de Prince e James Brown,

O papagaio subia para tomar uma dose de conhaque,

e no telhado declamava poemas para a Lua,

Depois desciam todos e dançavam em roda para ela,

Cantavam, giravam e beijavam seu contorno nu,

e ela descia doce e gozava iluminada,

espalhando seu fel pelos sonhos dos homens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário