9 de abr de 2010

simples assim

sou uma pessoa simples,

de sonhos simples,
e por isso mesmo vejo o mundo,
com os mesmos olhos que o vi,
pela primeira vez:


olhos de susto,
olhos de encantamento,
olhos de quem não se acostuma muito,
olhos de quem procura demais,
olhos de quem acredita desconfiando,
olhos de quem desconfia acreditando,
olhos de quem deixa e ganha todo dia,
um pensamento já velho demais,
ou um pensamento muito novo ainda...


Deve ser por isso,
que tenho este olhar:


olhar de quem prefere ouvir,
olhar de quem consegue se calar,
olhar de quem consegue parar,
olhar de quem consegue chorar,
olhar de quem consegue guardar,
olhar de quem não finge olhar,
olhar de quem tem muito dentro,
olhar de quem olha fundo nos olhos,
mas as vezes não consegue se deixar olhar.


há quem diga que sou um mistério,
mas para elas, ou a maioria delas,
é mais fácil crer assim, olhar de fora,
espiar de leve do que entrar de vez,
porque aqui dentro é simples,
tudo que espero é um amor simples,
uma vida simples,
simples assim.

6 de abr de 2010

Lá pelas tantas...

Lá pelas tantas,
Quando estava pelas tampas,
Vi que eram horas...
Olhei para baixo,
Só vi o meu pulso.
Não havia relógio.
Naquelas veias saltadas,
os anos batiam apressados.


Acelerando, acelerando...


Pressa para quê? Pensou minha mente,
Que nem estava mais ali, de fato,
naquele corpo cansado...
Ela voara, voara para bem longe,
Para algum lugar meu,
Que lá pelas tantas,
Ainda hei de encontrar...